03/06/2011

Saudades

Pino Daeni

Professora

Quando eu for embora, não sentirei saudades de você.
Não sentirei falta do que fizemos.
Nem lamentarei tudo que juntos vivemos.

Quando eu me for, só sentirei saudades...
das nossas juras de amor não vividas,
dos eu-te-amos que não dissemos,
da viagem de lua-de-mel que não fizemos,
dos cartões de aniversários que não trocamos,
dos natais que juntos não passamos.

Quando eu me for, levarei saudades...
dos beijos de amor que não trocamos,
das conversas que fora não jogamos,
dos porres que juntos não tomamos,
dos filmes românticos que não assistimos.
dos perfumes que não experimentamos,

Quando eu me for, sentirei falta...
dos jantares românticos que não preparamos,
dos presentes que não abrimos,
das árvores que não plantamos,
dos passeios de mãos dadas que não demos,
dos filhos que não tivemos.

Quando eu me for, as saudades sentidas serão...
das noites de amor que não vivemos,
dos ciúmes que não sentimos,
das brigas que nunca tivemos,
dos prazeres que não nos proporcionamos,
dos olhares apaixonados que não trocamos.

Quando eu finalmente me for, carregarei comigo a dolorida saudade...
das fotos que nunca tiramos,
dos sorrisos que não compartilhamos.
dos abraços que não nos demos,
das lágrimas que não deixamos cair,
do adeus que nunca dissemos.

Quando eu me for, só sentirei falta do que não fizemos, sentimos e vivemos.
Afinal foi com você que vivi os melhores dias de minha vida.
Só lamentarei não ter mais você comigo para juntos sermos felizes para sempre.

Licença Creative Commons
Saudade de Rokatia Kleania é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.Based on a work at www.aspirinasurubus.blogspot.com. Permissions beyond the scope of this license may be available at www.blogdaprofessorinha.blogspot.com

5 comentários:

  1. Texto simples, mas muito forte. Por mais que escreva sem muita pretensão, mas consegue construir imagens que tornam o texto independente. É uma reflexão universal porque um dia todos nós acabaremos tendo que ir, de qualquer forma.

    ResponderExcluir
  2. A linguagem simples clara, direta beirando a conversa espontanea parece ser sua marca maior.Mas essa aparente simplicidade na forma é apenas um subterfúgio para enredar a complexidade no plano da expressão. Outro texto tocante. Adorável, assim como vc!
    Um grande abraço
    Prima ASS
    lete

    ResponderExcluir
  3. Concordo com Paiva quando diz que se trata de uma reflexão universal. Apesar da 1ª pessoa, o texto abre precedentes para qualquer um que sente saudade do que nunca se teve... daí, através de um esvaziamento de si, materializado em palavras, dar-se a conhecer o abismo de solidão que existe no eu de Saudades...
    abração querida!
    Regiane.

    ResponderExcluir
  4. “Existiu uma época em minha vida que tive muitas saudades de alguém que eu ainda não havia conhecido e de um amor que eu não havia vivido.

    Lembro que a sensação é esta:
    Saudade algo que PODERIA TER SIDO E NÃO FOI.

    Seu texto, muito bem escrito como tudo o que escreve, me deixou com este gosto na boca.

    Beijos minha querida professorinha ASS.

    Desta Sudestina que um dia irá te abraçar pessoalmente.

    ASS Klas.”

    ResponderExcluir
  5. Não posso mentir que fiz relação direta conosco, os 6 bravos guerreiros deste blog. Já sinto saudade de vocês e - veja bem - nem conheço alguns! Mas afinidade não tem distância, né? Professorinha querida, que belas palavras.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...